Entidades empresariais apresentam considerações para reabertura da economia ao governo

Sob a liderança do presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac, Laércio Oliveira, 21 entidades representativas de classe empresariais se juntaram e formaram um grupo tático para elaboração de considerações para a reabertura das atividades econômicas em Sergipe. Já são mais de 70 dias com suspensão dos trabalhos das empresas, por conta da pandemia provocada pelo COVID-19, que têm sido duros para empresas e trabalhadores. O documento, desenvolvido contém sugestões para a abertura das atividades econômicas no estado, de modo que contemplem a recuperação da economia, com a garantia da preservação da saúde das pessoas. O plano foi entregue ao governador do estado, Belivaldo Chagas, que encaminhou para a equipe técnica do governo analisar.

O governador Belivaldo, declarou em entrevista que recebeu as considerações apontadas pelas entidades empresariais, além de afirmar que existe um plano para reabertura da economia. As entidades de classe se predispuseram a ajudar o Governo do Estado para criar o melhor ambiente para a volta das atividades econômicas, com o máximo de preservação da segurança biológica das pessoas.

O presidente da Fecomércio, Laércio Oliveira, destacou que o momento é de união para que todos juntos vençam o coronavírus e impeçam que Sergipe enfrente dificuldades econômicas maiores. “Elaboramos as considerações para ajudar o governo no processo de proteção das vidas das pessoas e de reabertura da economia. Acredito que podemos ajudar a criar as melhores condições para tal. O momento é de agirmos todos unidos para Sergipe vencer essa pandemia”, disse.

Ações base

No documento constam ações base para as empresas aplicarem, caso a volta das atividades econômicas seja liberada. Cada entidade contribuiu com o planejamento, criando dispositivos para atender as normas técnicas estabelecidas pela Secretaria de Estado da Saúde, com foco em evitar a transmissão do coronavírus. As sugestões contaram com a participação de profissionais da área de segurança do trabalho, para poder atender todas as questões possíveis no tocante à reabertura do comércio no estado.