Fecomércio e Caixa Econômica promovem desenvolvimento empresarial sergipano

Objetivo da parceria visa concessão de crédito para empresas ligadas ao Sistema Fecomércio com juros mais baixos que os da tarifa balcão

Foi celebrado na tarde de quarta-feira (18), na sede da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe (Fecomércio), um convênio entre a entidade e a Caixa Econômica Federal (CEF), com a liberação de linhas de crédito mais flexíveis para os empresários que possuam participação associativista com a Fecomércio, junto ao banco, com objetivo de enfretamento da crise econômica.

O convênio, com validade para o ano de 2017, versa sobre a captação de recursos para as empresas para investimentos nos negócios, com taxas de juros mais baixas que as contratadas usualmente pelas empresas diretamente no agente financeiro. As taxas terão uma sensível diferenciação, com percentuais que variam entre 0,83% a 1,69% de juros mensais em algumas modalidades, e outras oportunidades que contam com taxas entre 2,95% e 3,63% anuais. As empresas da base afiliada da Fecomércio poderão contratar serviços financeiros destinados a capital de giro, para aumentar o volume de negócios realizados pelas empresas em Sergipe.

De acordo com o presidente da Fecomércio, Laércio Oliveira, o convênio chega em uma boa hora, pois as dificuldades econômicas estão prejudicando o setor produtivo, afetando o mercado severamente, levando os empresários a problemas.

“Esse convênio é muito importante para o empresariado do setor terciário de Sergipe. Os empréstimos poderão ser contratados com uma flexibilização no pagamento e também nos juros, o que dará um fôlego financeiro para as empresas neste momento de crise. Eu tenho me preocupado bastante e atentado para o problema, então procurei alternativas para que os empresários pudessem ter um acesso mais facilitado ao crédito, com mais comodidade para pagamento e condições adequadas para que as empresas possam fugir da crise. Com isso, o comércio vai voltar a ter fluidez e voltar a estimular a geração de emprego nas empresas e consumo na população. Todos os empresários da base da Fecomércio ganham com esse convênio e o principal ganho será na circulação de receita dentro do comércio e no ciclo produtivo, com a volta da geração de emprego e renda para a população”, destacou.

De acordo com o superintendente da Caixa Econômica, Marco Antônio Queiroz, o convênio é importante. Pois o desenvolvimento econômico é um dos principais pilares da CEF e a parceria com a Fecomércio, para ofertar os serviços diferenciados para os empresários sergipanos ligados à federação.

“O convênio é importante para o desenvolvimento empresarial. Não poderíamos ter uma parceria melhor que com a Fecomércio, para desenvolver esse convênio e estimular à classe empresarial a contratar nosso produto ofertado de forma diferenciada. Todas as taxas de juros dos empréstimos serão menores que a tarifa de balcão. A ajuda da Fecomércio é fundamental para que isso seja concretizado com sucesso. O presidente tem sido um parceiro da Caixa e isso fortalece ainda mais a relação do banco com as empresas. Enfrentar o momento de crise é necessário e a Caixa tem buscado cumprir o seu papel, para que o ano de 2017 seja melhor que o passado, buscando ajudar os empresários a sair da crise”, afirmou.

O convênio foi assinado pelos diretores da Fecomércio, Alex Garcez e José Marcos Andrade, que valorizaram a iniciativa e comemoraram a oportunidade de negócios surgida com a nova modalidade de crédito para as empresas. “Os empresários poderão buscar nessas linhas de crédito, oportunidades para sair da crise. São ações como essa, da Fecomércio em parceria com a Caixa, que ajudam a recuperar a economia sergipana”, disse Garcez.

Para os empresários interessados nas linhas de crédito especiais da parceria entre Caixa e Fecomércio, a federação disponibiliza orientação para a captação dos recursos por meio de sua equipe de atendimento.