Serviços de transporte por Aplicativos facilitam a Mobilidade de Passageiros

A pesquisa Serviços de Transporte por Aplicativos, realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), procurou entender a relação dos brasileiros residentes nas capitais na hora de optar por serviços de transporte particulares pagos em diferentes trajetos do dia a dia. Os pesquisadores mapearam a maneira como o consumidor brasileiro se desloca e quais são suas impressões sobre os mais variados tipos de transporte oferecidos nas 27 capitais brasileiras.

O que motivou a pesquisa foi a concorrência gerada pela entrada das novas plataformas de transporte por aplicativo e a mudança do padrão de exigência do consumidor brasileiro,ávido por alternativas que economizem tempo e dinheiro, sem abrir mão de qualidade e comodidade.

Considerando os mais variados meios de locomoção como ônibus, metrô, trem, carro, moto, a pé, transporte por aplicativo, bicicleta, van/fretado e táxi, para locomoção a destinos diversos, metade dos entrevistados (49,7%) afirmaram que preferem fazer compras utilizando serviços de transporte privados como Táxi ou transporte por aplicativo como Uber, Cabify, entre outros, por serem mais baratos do que outras alternativas disponíveis. Segundo a opinião dos brasileiros pesquisados, ir às compras utilizando esses serviços particulares de transporte é mais cômodo (54,9%), principalmente para os jovens entre 18 e 34 anos (64,1%), e também de mais fácil acesso (55,4%), com maior frequência entre consumidores de 18 a 34 anos (63,5%).

A pesquisa revelou também que, levando em conta somente os táxis e as novas plataformas de transporte por aplicativo, mais da metade dos brasileiros (64,6%), principalmente aqueles entre 18 e 34 anos (77,4%), concordam que passaram a usar mais os transportes por aplicativo no lugar dos táxis em função do preço oferecido. Cerca de 58,3% citaram também a qualidade superior do serviço, principalmente respondentes do sexo feminino (61,7%) e novamente com maior aderência entre os mais jovens.

O estudo do SPC e CNDL também buscou identificar a maneira como os brasileiros se locomovem para realizar atividades do cotidiano, bem como mapear quais os meios de transporte mais utilizados para fazer compras. O resultado foi que, de modo geral, a categoria de transporte coletivo (trem, metrô e principalmente o ônibus) liderou o ranking para realizar deslocamentos cotidianos, especialmente para ir ao trabalho, à escola e ao médico/dentista. Por outro lado, foi relevante o uso de transportes particulares (carro ou moto) ou outros tipos de transportes (a pé, serviços de transporte por aplicativo, bicicleta, van/fretado e táxi) para atividades de lazer, ir ao supermercado e fazer compras perto ou longe de casa.

Cabe destacar que a pesquisa mostrou que, levando em consideração somente os serviços de transporte particulares pagos, as novas plataformas por aplicativo levaram vantagem em comparação com os táxis em muitas categorias pesquisadas. Para os entrevistados, se locomover utilizando serviços de transporte por aplicativos é mais usual do que pedir um taxi principalmente para realizar atividades de lazer como ir a bares, restaurantes, cinema, festas e parques (17,8% das citações frente a 5,9% dos táxis), ir ao médico/dentista (6,0% das citações, frente 3,5% dos táxis) e fazer compras longe de casa (9,7% das citações, frente a 5,8% dos táxis).

De fato, as plataformas de aplicativos vinculados aos serviços de transporte particular, possibilitaram ao consumidor entrar em contato direto entre motoristas e passageiros, de forma rápida, e possibilitando acompanhar o itinerário da corrida em tempo real, além de avaliar a qualidade do serviço. O público alvo da pesquisa foram consumidores das 27 capitais brasileiras, homens e mulheres, com idade igual ou maior a 18 anos, de todas as classes econômicas.