Laércio Oliveira aposta na reação do setor produtivo para o Brasil sair da crise


Publicado em : 11/08/2016 | por Assessoria de Comunicação | Agência Comércio | Atualizado em: 11/08/2016


O Brasil ainda tem tempo para escapar de uma grande estagnação econômica. O ajuste fiscal é o principal consenso entre os participantes do Encontro de Economia do Sudeste, que acontece nesta quinta (11) e sexta-feira (12), no Hotel Senac Ilha do Boi. O evento é uma iniciativa dos Conselhos Regionais de Economia da Região Sudeste, com o apoio da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Espírito Santo (Fecomércio-ES).

Entre os palestrantes do Painel “Agenda para o Brasil sair da crise”, que ocorreu pela manhã desta quinta-feira, esteve presente o vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), e Deputado Federal, Láercio Oliveira, que destacou os cinco fatores em que demostra que o país já está superando a crise econômica: Inflação em queda; Ociosidade do parque fabril está por fim; Juros em queda; e Contas externas arrumadas.

“Antes de estar como político e classista, também sou empresário, e passo pelas dificuldades do setor produtivo. Mas é preciso de uma reação nossa, dos empresários, de acreditar. Há sinais positivos vindos de muitos lugares. Estamos conscientes de que não vai ser fácil, mas é evidente que há otimismo por parte dos empresários. Agora é hora de trabalhar”, destaca Láercio Oliveira.

Mas para o presidente da CNC a velocidade da escalada de volta, na visão dos especialistas, vai depender da capacidade do governo de ganhar impulso firmando o pé em pedras hoje bastante soltas: “Dissipar a conturbada relação com o Congresso, aplicar as medidas de ajuste fiscal necessárias, controlar a inflação que anda acima da meta estabelecida e reconquistar a confiança do empresariado, bastante reticente em investir”, destacou.

Além de Láercio Oliveira, participaram do painel o gerente-executivo de pesquisa e competitividade da CNI, Renato Fonseca; o economista da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), Luís Fernando Mendes; o economista da Confederação Nacional dos Lojistas, Everton Chaves; e como mediador o professor de economia da Ufes, Celso Bissoli.

O presidente da Federação do Comércio do ES (Fecomércio-ES), José Lino Sepulcri ressaltou a importância de apoiar o encontro: “O cenário atual desperta preocupação devido ao retrocesso em importantes indicadores econômicos, como o emprego, o PIB, a produção industrial, renda, consumo e o endividamento público. Por isso, apoiamos este importante evento, que pretende mostrar que os especialistas podem ajudar a sociedade neste momento, com diagnóstico e soluções para a superação dos problemas”, frisou, Sepulcri.

Segundo o presidente do Corecon no Espírito Santo, Eduardo Araújo, o Encontro de Economia do Sudeste o encontro continua nesta tarde e na sexta-feira (12) com muitos especialistas. Entre as autoridades convidadas estão também a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescov, o secretário do Ministério do Planejamento, Marcos Adolfo Ferrari; o secretário de Assuntos Internacionais (Seain) do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Jorge Arbache; e o economista Samuel Pessoa.

Fotos : Ascom/ES

image_pdfimage_print
Tags: , , , ,
Autor : Assessoria de Comunicação | Agência Comércio
Categorias : Notícias