Projeto Centelha já tem mais de 220 ideias submetidas

O programa Centelha-SE, iniciativa da FINEP em parceria com o Governo do Estado, ligado ao projeto Inova + Sergipe, de iniciativa da Câmara de Tecnologia e Inovação da Fecomércio com o apoio da SEDETEC e FAPITEC, em parceria com agentes públicos e privados, que visa o desenvolvimento econômico do estado por meio de ações de estímulo à formação empreendedora na área de tecnologia e inovação, apresentou os primeiros resultados de ideias participantes. A apresentação foi feita pelo coordenador do Inova + Sergipe, Roger Barros, em reunião com os atores participantes na Universidade Federal de Sergipe, acontecida na terça-feira (23), com a presença do reitor da UFS, professor Ângelo Antoniolli.

Na apresentação dos resultados, o coordenador do Inova + Sergipe destacou que os editais disponibilizados somarão R$ 3.2 milhões em investimentos nas empresas que possuam projetos inovadores em nosso estado. O primeiro edital já está em processo de captação de projetos até o dia 30 de agosto, sendo que até o momento 282 ideias já foram iniciadas e 226 foram submetidas para a disputa dos recursos iniciais da ordem de R$ 1.2 milhão, que serão distribuídos para 23 empresas com recursos não reembolsáveis de mais de 50 mil reais para cada um dos selecionados na fase final. Roger Barros destacou a importância da UFS como agente participante do projeto, mostrando suas ações para o segmento e lembrou que Sergipe está liderando no país em termos de ideias iniciadas, nos níveis proporcionais à sua população.

“A UFS é um dos grandes atores do nosso ecossistema de tecnologia e inovação no estado e nós fomos muito bem recebidos pelo reitor professor Ângelo Antoniolli e sua equipe de gestores, que nos apresentou junto com os professores dedicados ao desenvolvimento de inovação da universidade, vários projetos importantes que fazem parte do Inova + Sergipe. Os projetos da UFS vinculados ao Centro de Empreendedorismo e a CINTTEC –  Coordenação de Inovação e Transferência de Tecnologia, mostram como a UFS está avançada no quesito tecnologia e inovação. O Inova se soma à UFS nessa iniciativa, pois é o local com o maior número de doutores e patentes registradas. Bons frutos virão da parceria do Inova + Sergipe com a UFS. São ações como essa através de um ambiente colaborativo que hoje colocam Sergipe como líder nacional em projetos para o Centelha, com mais de 220 ideias iniciadas”, disse.

O reitor da UFS valorizou a aproximação da Academia com o setor privado, por meio do projeto Future-SE, iniciativa do Governo Federal, que em breve poderá colocar o corpo acadêmico ligado ao mercado, com o desenvolvimento de pesquisas aplicadas, evoluindo o processo de crescimento e desenvolvimento do nosso Estado, com a expectativa de resultados sociais positivos.

Os trabalhos da UFS para o desenvolvimento de ferramentas inovadoras estão sendo desenvolvidos por vários departamentos, entre eles a CINTTEC e o Centro de Empreendedorismo. Lá têm sido feitos trabalhos nas áreas mais variadas, como saúde, economia, agronomia, entre outros, além dos trabalhos das Empresas Juniores que desenvolvem mais de 60 projetos atualmente, com impacto positivo nas vidas de mais de 6 mil pessoas, com estímulo ao empreendedorismo social.

O superintendente do Sebrae, Paulo do Eirado, valorizou os resultados apresentados pelo Inova + Sergipe, destacando a atuação dos agentes envolvidos com o projeto, na busca pelo fortalecimento do setor de tecnologia e inovação do estado.

“O Inova + Sergipe está se consolidando como um movimento que chegou numa hora muito oportuna e que está tendo adesões firmes das mais diversas entidades e instituições. A reunião de hoje com a UFS mostrou o entusiasmo da universidade e do reitor, professor Ângelo Antoniolli, que indica que esses serão os caminhos que a academia vai trilhar. Da mesma forma, entendo que a economia sergipana deve buscar uma profunda reforma e novos modelos de negócios, o desafio está aí nas respostas que o Inova + Sergipe já apresenta, com realizações tangíveis, que devem ser comemoradas. Como a participação sergipana no projeto Centelha, que nosso estado apresentou o número maior de participantes em todo o Brasil. Esse é o momento de reconhecer a inovação como grande oportunidade, grande vetor de desenvolvimento para a geração de emprego e renda para as futuras gerações, com a criação de um novo modelo econômico pelo desenvolvimento das startups sergipanas. Estou muito otimista com isso”, afirmou.




Inova + Sergipe aumenta capilaridade de ações

O projeto que tem como principal objetivo aumentar a capacidade de geração de emprego no estado e elevar o nível de renda da população sergipana, Inova + Sergipe, continua provocando grande repercussão no segmento empresarial e setores públicos. Em mais uma reunião dos agentes participantes do projeto, que até 2030 quer transformar a realidade econômica sergipana, apresentou mais duas adesões de grande porte para o desenvolvimento dos seus trabalhos.

Objetivando contribuir com os trabalhos de desenvolvimento tecnológico, por meio do incentivo à criação de programas e desenvolvimento das atividades já existentes no setor de TI no estado, o Instituto Federal de Sergipe (IFS) buscou o líder do projeto, o coordenador da Câmara Empresarial de Tecnologia e Inovação da Fecomércio, Roger Barros, para participar dos trabalhos desenvolvidos pela equipe multidisciplinar e poliempresarial encabeçado pelas entidades de classe representativas do setor em Sergipe.

A representante do IFS, Mônica Padrão, valorizou o projeto e disse que o IFS reconhece o Inova + Sergipe como um agente fomentador do desenvolvimento econômico e tecnológico do estado, sendo o instituto um celeiro de formação de novas tecnologias, informou que o IFS está interessado em participar, devido à repercussão provocada no ambiente econômico sergipano. Mônica destacou que o IFS tem muito a contribuir com o processo de desenvolvimento de novas tecnologias, haja vista sua expertise no assunto.

O segundo agente que procurou a Fecomércio para se engajar ao Inova + Sergipe foi a Prefeitura Municipal de São Cristóvão. A representante da administração municipal, Neusa Malheiros, manteve contato para se colocar à disposição dos participantes do projeto, pois reconhece na iniciativa um mecanismo importante para o desenvolvimento da cidade e de toda a população, mostrando que o Inova + Sergipe é uma ação que busca fortalecer a economia de todo o estado, levando além da capital as suas proposituras de fomento ao setor de Tecnologia e Inovação em Sergipe.

O superintendente da Fecomércio, Maurício Gonçalves, comemorou as novas adesões e declarou que o Inova + Sergipe está ganhando mais robustez, confiabilidade e reconhecimento dos agentes públicos e privados, levando ao trabalho em conjunto, com vistas em uma transformação social em todo o estado, em médio prazo.

“O Inova está crescendo e repercutindo muito positivamente na sociedade, chamando a atenção de agentes dos mais diversos setores, o que fortalece a credibilidade de nossa iniciativa. A atuação gerencial do projeto vai além dos participantes, sendo chancelada pelas instituições de maior representatividade empresarial, desenvolvimentista e visionárias de Sergipe. Os agentes públicos estão se aproximando, por reconhecerem que o Inova + Sergipe será o grande propulsor do fortalecimento econômico sergipano, o que aumenta nossa confiabilidade e certeza de que nosso trabalho está seguindo os rumos do sucesso. Estou muito feliz com a chegada desses novos participantes que contribuirão sobremaneira com os trabalhos de toda equipe”, comentou.

O projeto Inova + Sergipe quer fazer um estado preparado para o que virá no futuro, com capacitação pessoal e profissional das pessoas, que encontrarão no mercado de inovação, a oportunidade de melhorar e mudar seu padrão de vida e conta com a participação da Fecomércio, FIES, Sebrae, Unit, UFS, Senac, IEL, Sedetec, SergipeTec, Emgetis, Fapitec, Prefeitura de Aracaju, Prefeitura de São Cristóvão, Caju Valley e a Câmara Empresarial de Tecnologia e Inovação, além de diversos representantes da classe empresarial sergipana.

 




Inova + Sergipe fará mapeamento do ecossistema de inovação no estado

O Inova + Sergipe, projeto que quer promover a revolução socioeconômica no estado de Sergipe para os próximos anos, com foco na criação de um ambiente favorável à inovação e criatividade com geração de emprego e renda para a população sergipana, deu mais um passo para sua realização. Foi decidido na reunião da Câmara Empresarial de Tecnologia e Inovação da Fecomércio, na quarta-feira (04), que o mapeamento dos atores que promovem empreendedorismo e inovação com suas respectivas ações em nosso estado será desenvolvido, para o conhecimento e definição dos próximos passos a serem dados pelos grupos de trabalhos que compõem os quatro Eixos do Inova + Sergipe.

O mapeamento destes atores do estado será realizado por meio de pesquisa que será conduzida pela equipe do Inova + Sergipe. Com a análise dos resultados, será feito o diagnóstico do cenário de inovação e empreendedorismo no estado. O mapeamento visa conhecer os atores que serão integrados ao projeto, com a definição das cadeias de referências correlatas a cada atividade em desenvolvimento pelas entidades e empresários locais. A cadeia produtiva do setor de tecnologia e inovação no estado é um mecanismo forte para dar mais envergadura para o Inova + Sergipe. O coordenador do projeto, Roger Barros, que também coordena a Câmara Empresarial de Tecnologia e Inovação da Fecomércio, destaca a importância do mapeamento das diversas atividades inovadoras do estado, como uma ferramenta fundamental para o êxito do projeto.

“Toda nossa vida passa por inovação, esse setor da economia criativa tem crescido de forma avassaladora e tem a tendência de ser o maior gerador de emprego e renda para os sergipanos. A inovação é sinônimo de inteligência e networking entre as empresas, o que dá segurança para o exercício da atividade empresarial e faz com que tenhamos resultados positivos para o estado, pensando fora da caixa. Mapear as iniciativas desenvolvidas no estado vai facilitar a captação de recursos para o desenvolvimento empresarial local, dando mais possibilidade de fazer os investimentos necessários para a concretização dos nossos objetivos de transformação social em Sergipe”, comentou.

O coordenador destacou que já existem dois editais disponibilizados para a captação de investimentos para o desenvolvimento das empresas através da inovação. Roger lembrou que a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), empresa pública de estímulo ao desenvolvimento de tecnologia, ciência e inovação, está gerando oportunidade de aquisição de recursos para os melhores projetos apresentados pelos empreendedores. Barros ressaltou que Sergipe apresenta atualmente trabalhos em andamento por 35 startups e uma aceleradora de empresas sendo constituída e que em breve estará apoiando projetos com alto potencial de crescimento.

O professor Marcos Wandir Lobão, representante da Universidade Tiradentes (Unit), apresentou o plano de trabalho do eixo de capital e mostrou os editais disponibilizados pela Finep. O professor mostrou o planejamento para o financiamento das empresas e aceleração dos projetos desenvolvidos em Sergipe. Dentro de sua apresentação, Marcos Wandir sinalizou que serão feitas as avaliações das ideias, dos planos de negócios das atividades e viabilidade empresarial, além da aceleração do empreendimento e desenvolvimento de infraestrutura operacional para a realização e acompanhamento dos projetos.

“Apresentar propostas nesses editais é fundamental para incentivar as empresas que têm projetos inovadores e consolidar o sistema de inovação estadual. O programa Inova + Sergipe apoia esta iniciativa para criar um ambiente propício que estimula os empreendedores a elaborar bons projetos, apoiando sua execução e criando mecanismos de proteção, comercialização e ampliação de escala dos novos processos e produtos oriundos dessas inovações”, afirmou o professor.




Inova + Sergipe realiza alinhamento de ações

O projeto que visa transformar a realidade econômica e social de Sergipe até o ano de 2030, o Inova + Sergipe, realizou mais uma reunião entre os atores participantes para a definição das ações que compõem seus 4 eixos de atuação (Capacitação, Investimento, Infraestrutura e Colaboração). A reunião aconteceu na quarta-feira (27/06), na sede da Fecomércio, com a presença de representantes das entidades parceiras, com os trabalhos direcionados pelo coordenador da Câmara Empresarial de Tecnologia e Inovação da Fecomércio, Roger Barros.

O Inova + Sergipe está trabalhando com a formulação de ações para a complexidade que um projeto desta envergadura exige para o início de sua operação. Para os representantes das entidades parceiras do projeto, Sergipe é um estado que se qualifica como berço histórico de empresários inovadores, compartilhamento de ideias e realização de ações para melhorar o modelo econômico atual, que não comporta mais um mercado sem inovações para manter seu processo constante de competitividade. E com isso, o Inova + Sergipe surge como um mecanismo de desenvolvimento socioeconômico para direcionar esforços no sentido de transformar o cenário atual gerando novas oportunidades, tendo a melhoria da qualidade de vida e geração de empregos e renda para os sergipanos como um de seus objetivos.

Os agentes participantes do Inova + Sergipe lembraram que o trabalho colaborativo e a somação de forças das entidades formarão um trabalho interempresarial que fará uma revolução no mercado local. Ressaltando que o projeto é  institucional. As atividades de desenvolvimento de ações práticas para o mercado de inovação e empreendedorismo, articuladas pelos eixos de atuação dos grupos de trabalho serão realizadas com transparência e com ampla divulgação pelos meios de comunicação.

O representante da Universidade Tiradentes e diretor de Inteligência Competitiva, Domingos Machado, valorizou a iniciativa e pontou ações que devem ser feitas de maneira imediata, para que o Inova + Sergipe atue com mais eficácia.

“Temos que fazer o mapeamento dos agentes de inovação e as ações já existentes em Sergipe para encontrar os eixos potenciais a serem desenvolvidos. Existem várias iniciativas institucionais em curso que podem ser aproveitadas e estimuladas. O projeto não é uma iniciativa pública ou privada, é um projeto dos sergipanos para nosso povo”, destacou o diretor.

O aprofundamento nas questões da atuação do Inova + Sergipe promoverão o melhor entendimento do mercado e seu posicionamento para dar o início de suas ações, segundo o coordenador da Câmara Empresarial de Tecnologia e Inovação da Fecomércio, Roger Barros.

“A compreensão e levantamento das iniciativas de inovação em Sergipe nos dará mais admissibilidade para o conhecimento da realidade do setor de inovação existente no estado. Com isso, poderemos estruturar nossas ações para as áreas fundamentais do desenvolvimento econômico e social, como educação, melhoramento de processos, desenvolvimento de tecnologias que venham facilitar a vida do nosso povo, dando mais oportunidades de trabalho e conquista de independência financeira para as pessoas. O projeto Inova + Sergipe quer fazer um estado preparado para o que virá no futuro, com capacitação pessoal e profissional das pessoas, que encontrarão no mercado de inovação, a oportunidade de melhorar e mudar seu padrão de vida”, comentou Roger Barros.

A reunião do Inova + Sergipe contou com a participação de representantes da Fecomércio, Fies, Unit, UFS, Sebrae, Senac, Sedetec, SergipeTec, Emgetis, SEMICT e Caju Valley.