Somente 31% dos brasileiros são consumidores conscientes

Somente 31% dos brasileiros são consumidores conscientes

Poucos brasileiros adotam práticas mais responsáveis na rotina do dia a dia, ou mesmo possuem atitudes sustentáveis de consumo. Esse foi o resultado de uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) realizada em todas as capitais do país.

Segundo a pesquisa, a maioria dos brasileiros (55%) possuem hábitos de consumo consciente ainda aquém do desejado, são considerados ‘consumidores em transição’. Os pouco ou nada conscientes somam 14% de entrevistados, ao passo que apenas 31% podem ser considerados ‘consumidores conscientes’.

Os dados são parte do Indicador de Consumo Consciente (ICC), que em 2018 atingiu 73%, mantendo-se estável em relação ao ano passado (72%). O ICC pode variar de 0% a 100%: quanto mais próximo de 100% for o índice, maior é o nível de consumo consciente. Para chegar-se ao resultado são aplicadas perguntas relativas aos hábitos, atitudes e comportamentos da rotina dos brasileiros, considerando os aspectos financeiros, ambientais e sociais.

Fonte: CNDL/SPC Brasil, Consumo Consciente, outubro/2018. 

A pesquisa mostrou que, para economizar, nove em cada dez consumidores fazem algum tipo de serviço em casa que poderia ser contratado fora. O aspecto financeiro é o que mais influencia as práticas de consumo consciente entre as pessoas – ou seja, quando pesa no bolso. Nesse sentido, o levantamento da CNDL revelou que entre as várias práticas que já fazem parte da rotina dos brasileiros, destacam-se: sempre pesquisar preço, que resulta na compra dos itens mais baratos (92%), avaliar previamente o orçamento para saber se é possível levar ou não um determinado produto (91%) e optar por não adquirir algo novo quando o bem ainda pode ser usado ou até mesmo consertado (90%).

Alguns pontos importantes foram identificados na pesquisa, como os relativos à adoção de hábitos sustentáveis do ponto de vista ambiental, quais sejam: 1) ao considerar o consumo racional de água, a atitude mais adotada pelos entrevistados (92%) é fechar a torneira enquanto se escova os dentes; 2) controlar todo mês o valor da conta de água (86% dos entrevistados); 3) ensaboar a louça com a torneira da pia fechada (85%); 4) não considerar um exagero a crença de que um dia a água irá acabar (85%); e 5) não lavar a casa ou a calçada com mangueira (83%).

Em relação ao uso racional de energia elétrica, que tem grande impacto social e ambiental, a pesquisa mostrou que há uma conscientização crescente dos brasileiros. As práticas adotadas pelos brasileiros pesquisados, revelaram que: 1) apagar as luzes de ambientes que não estão sendo utilizados é a principal prática (95%) mencionada; 2) controlar o valor da conta de luz (90%); e 3) passar roupas apenas quando existe um volume grande de peças (82%).

O estudo revelou que entre os principais obstáculos apontados quanto à adoção de atitudes de consumo consciente, o mais citado tem a ver com a rotina de hábitos ruins que vão se tornando rotineiros sem que a pessoa perceba. Em relação a economizar água, luz e telefone, por exemplo, 33% reconhecem que a principal barreira é a distração ou esquecimento. Cerca de 22% afirmam ficar desmotivados por não verem resultados diante das mudanças de atitude, enquanto 20% mencionam falta de tempo.

Para essa pesquisa, foram entrevistados 824 consumidores, nos meses de maio e junho, nas 27 capitais brasileiras, acima de 18 anos, de ambos os gêneros e de todas as classes sociais.

 

https://issuu.com/fecomerciose

image_pdfimage_print