Consumidores brasileiros estão abertos para adoção de Internet das Coisas


Publicado em : 10/10/2017 | por Sudanês Pereira | Agência Comércio | Atualizado em: 10/10/2017


A Worldpay, líder global em soluções e tecnologias de processamento de pagamentos (pagamentos com cartão, processamento multimoeda e pagamentos on-line), realizou pesquisa em conjunto com a Opinium, em junho deste ano, sobre a Internet das Coisas. A pesquisa foi realizada na Austrália, Alemanha, Brasil, China, Cingapura, Espanha, Estados Unidos, Holanda, Reino Unido e Suécia. Foram entrevistadas 2.014 pessoas no Brasil.

A internet das coisas, conhecida pela sigla IoT (internet of things, em inglês), é a tecnologia que permite conectar vários dispositivos eletrônicos do cotidiano à internet. A aplicação da internet das coisas pode ser utilizada em diversas áreas, desde eletrodomésticos até a indústria. O Brasil lançou em setembro o Plano Nacional de Internet das Coisas, liderado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI). O Plano contém diretrizes de políticas públicas voltadas para áreas prioritárias, como Cidades Inteligentes, Saúde, Agronegócio e Indústria 4.0. Toda a estratégia do Governo Federal é voltada para promover o crescimento e desenvolvimento econômico por meio da melhoria da produtividade, da criação de modelos de negócios inovadores, e do desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado a partir da IoT.

O que a pesquisa da Worldpay revelou sobre o que os brasileiros pensam ou esperam da IoT. Segundo a pesquisa, os brasileiros são os consumidores mais abertos à adoção de novas tecnologias. A pesquisa mostrou que 81% dos consumidores brasileiros já estão preparados para fazer compras por meio de dispositivos conectados. Em segundo lugar aparecem os chineses, onde 61% dizem se sentirem confortáveis em utilizar dispositivos conectados. A novidade da pesquisa foi o Reino Unido, um dos países mais preparados para aplicações de IoT, onde somente 23% das pessoas disseram que gostariam de contar com um dispositivo conectado para fazer compras de produtos em nome deles, sem necessidade de pedir permissão.

De acordo com o levantamento da Worldpay, os brasileiros acreditam que a tecnologia IoT será responsável por tornar o cotidiano mais fácil e prático, e apenas 43% dos pesquisados disseram que fariam questão de aprovar cada compra antes de o pedido ser feito pelo dispositivo. Porém, o consumidor brasileiro mostrou que tem algumas restrições em relação às compras por dispositivos eletrônicos, onde 67% preferem estabelecer regras para compras como limitar o valor que pode ser gasto, por exemplo.

Os dados também revelaram que 74% dos consumidores brasileiros pesquisados têm preocupações em relação à privacidade dos dados pessoais, ou seja, como as empresas compartilham seus dados. Além disso, 82% se preocupam com o risco dos dispositivos eletrônicos serem invadidos por hackers. A conclusão, de forma geral, segundo o relatório da Worldpay, é que não importa se uma tarefa é executada por um humano ou por uma máquina, mas sim que os consumidores estejam no controle da delegação dos pagamentos e das atividades. O consumidor quer ter controle e ser informado sobre cada compra e atividade realizada pelo dispositivo, seja por meio de uma notificação no display, de um clique de botão ou a partir de uma regra pré-estabelecida, como um limite de gastos que seja acordado com antecedência, por exemplo. De fato, os avanços tecnológicos proporcionam oportunidades, e os dispositivos conectados, de certa forma, podem tornam a vida dos consumidores mais fáceis.

image_pdfimage_print

Autor : Sudanês Pereira | Agência Comércio
Categorias : RadarFecomércio