Laércio busca integração da Argentina com comércio sergipano

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe, e vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC), Laércio Oliveira, participou de uma missão técnica, que envolveu os representantes de federações estaduais do Brasil, em atividade interacional com as entidades representativas da Argentina, durante os dias 14 e 17 de novembro, objetivando potencializar as relações comerciais entre os estados brasileiros e as províncias da Argentina, para ampliar as transações comerciais bilaterais.

Nas reuniões com os diversos setores da economia argentina, Laércio assinou um acordo de cooperação entre os dois países, como vice-presidente da CNC, com a finalidade de compartilhamento de informações técnicas sobre as políticas de investimentos, com oportunidade de cooperação econômica entre os dois países. Laércio destacou a importância de ter a Argentina como parceiro comercial, valorizando sua força no Mercosul e como potencial comprador de produtos produzidos no Brasil e em Sergipe.

“Este é um momento oportuno para que o Brasil aproveite as condições favoráveis para seu posicionamento no mercado internacional, tendo em vista um foco maior para a Argentina, que é um dos três maiores parceiros comerciais da economia brasileira. Sergipe tem um grande potencial de exportação de nossa indústria de metalurgia, citrícola, sucro-alcooleira,de óleos vegetais e calçados, que podem exportar grande quantidade de produtos de qualidade para nosso país vizinho”.

Conhecedor da situação da macroeconomia brasileira, Laércio entendeu que a condição de aproveitamento do momento atual para aumento nas exportações, perpassa por um trabalho em conjunto com o comércio portenho, que fortalecerá de forma bilateral o crescimento econômico. Para ele, Sergipe pode aproveitar bem a situação, fazendo sua balança comercial ser superavitária, exportando mais que realizando importações.

“O momento é de trabalharmos a orientação da exportação industrializada e de serviços, que têm tido um grande crescimento neste ano. Hoje estamos vendendo mais para a Europa, mas podemos aumentar o volume de exportações para a Argentina, pois nosso produto chegaria com custo menor que chega atualmente nos países europeus. É hora de recuperar isso em definitivo. Já tivemos dias melhores, nossos negócios no Brasil e na Argentina já foram muito maiores do que são hoje e, infelizmente, nos últimos tempos, as coisas não caminharam como deveriam e o resultado, como sabemos, é o desemprego. Nossa ideia é relatar e reativar nossas relações comerciais no mercado comum. Representamos segmentos fundamentais, que respondem por mais da metade do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, e estivemos lá com presidentes de federações nacionais e estaduais”, disse Laércio.

A chanceler argentina, Susana Malcorra, destacou que receber Laércio e os empresários brasileiros foi importante para o avanço da integração de mercados entre os dois países.

“No mundo complexo de hoje, ser capaz de mostrar nosso mercado integrado é fundamental. Estamos convencidos de que o Mercosul é uma oportunidade desenvolvida pela metade. O Mercosul é uma oportunidade, com características positivas a serem exploradas. Queremos tratar de igual para igual com o restante do mundo, e para isso é fundamental a participação de países como o Brasil”, comentou a chanceler.

Missão à Argentina: Recepção da Comitiva CNC no Palácio San Martin