Índice de consumo das famílias é o melhor dos últimos três anos

A comparação dos indicadores do mês de fevereiro dos últimos
três anos da pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), realizada pela
Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e analisada
pela Fecomércio Sergipe, concluiu que fevereiro de 2019 é o mês com maior
confiança das famílias aracajuanas em termos de vontade de fazer compras nos
estabelecimentos comerciais da capital sergipana.

O indicador manteve trajetória crescente nos meses de
fevereiro, desde o ano de 2016, quando apresentou 87,4 pontos até 2019, com o
apontamento de 102,7 pontos. O indicador é o maior na comparação dos três anos,
considerando fevereiro de 2016 como marco inicial. No primeiro bimestre deste
ano, a variação percentual da intenção de consumo elevou 2,6%. De acordo com o
diretor da Fecomércio, o economista Ancelmo Oliveira, a queda gradual do
desemprego e a recuperação gradativa da economia confirmam as melhores
perspectivas das famílias.

“O cenário é o mais animador desde 2016, de acordo com a
pesquisa, o que é um resultado claro da recuperação das condições econômicas
que o estado está começando a apresentar nos últimos meses. Acreditamos que a
intenção de consumo das famílias aracajuanas continuará apresentando
crescimento. A retomada do crescimento do número de empregos e os sinais
positivos que a economia está apresentando inspiram a confiança nas famílias”,
comentou.

Os subíndices componentes da pesquisa de Intenção de Consumo
das Famílias apresentaram variações positivas em todos os aspectos. A
perspectiva de manutenção do emprego atual alcançou o patamar de 119,2 pontos,
com crescimento de 0,93% em relação ao mês de janeiro. Já o indicador de
perspectiva profissional, aquele que mostra o pensamento dos pesquisados sobre
melhoria na vida profissional, atingiu 119,2 pontos, registrando crescimento de
2,11%, indicando que as pessoas acreditam que poderão evoluir em seu ambiente
de trabalho.

Consumo

Os indicadores do ICF acerca de compras apontaram
crescimento significativo em termos percentuais. O nível de consumo atual das
famílias apresentou 90,7 pontos, com crescimento de 5,34% na variação mensal. O
indicador de perspectiva de consumo chegou a 92,6 pontos, com elevação de
3,93%, o aspecto de compras a prazo alcançou 103,8 pontos, com elevação de
3,39% e o momento para a compra de duráveis chegou ao número de 79,5 pontos,
com crescimento de 5,44%.