Fecomércio implanta Câmara de Governança, Riscos e Compliance

Para melhorar o ambiente corporativo e empresarial, a Fecomércio imprime uma iniciativa inovadora em todo o Brasil, com a implantação da Câmara de Governança, Riscos e Compliance (GRC). A instalação aconteceu na tarde de segunda-feira (11), com o presidente da Fecomércio, Laércio Oliveira, dando posse ao coordenador, o advogado Gustavo Andrade. A Câmara de GRC terá como principal objetivo difundir informações que auxiliem o empresário na prevenção de riscos, mediante a observância dos conceitos de governança e das normas legais vigentes. A Câmara de GRC terá como missão, igualmente, elevar o nível de consciência dos empresários sergipanos, com vistas a prevenir e evitar a criminalização de suas atividades.

As empresas, cada vez mais, em razão do contexto nacional e internacional, necessitam compreender os novos desafios impostos pelas novas regras de comportamento corporativo e exigências legais.

O presidente da Fecomércio, Laércio Oliveira, ao empossar o coordenador Gustavo Andrade, coloca a Fecomércio Sergipe na vanguarda nacional no que diz respeito à reflexão profunda dos aspectos Governança, Riscos e Compliance no Brasil.

“Desenvolver a Câmara GRC em Sergipe é um passo importante para nosso mercado e para todo o setor produtivo do estado. Promover por meio desta câmara o melhoramento empresarial é fundamental para o novo mundo dos negócios, que se moderniza a cada dia e que demanda ações que deem mais valor às empresas e de modo que o meio empresarial, o mercado, o poder público e as organizações vejam as empresas com os olhos da ética e responsabilidade. A aplicação da GRC nas empresas é comum no mercado internacional, e isso melhorará muito a imagem institucional empresarial, promovendo harmonia e mais competitividade no mercado, com as empresas destacando-se diante da aplicação dos princípios da Governança, Gestão de Riscos e Compliance”, afirmou o presidente Laércio.

O coordenador da Câmara, Gustavo Andrade, lembrou que os empresários precisam estar preparados para o futuro e a evolução das relações econômicas de mercado e destacou que isso perpassa pela evolução da mentalidade empresarial.

“O ambiente corporativo está passando por profundas transformações, sejam tecnológicas sejam éticas. A transparência, antes um valor, passou a ser imposição legal. As mudanças, porém, foram muito além. O cumprimento de normas de governança, tributárias, trabalhistas, e mais de perto as constantes das leis anticorrupção e da livre concorrência, mudaram as referências quanto aos comportamentos legalmente aceitáveis. A necessidade de adequação às normas legais de conformidade passou a ser condição para existência dos negócios e sua não observância uma escolha de altíssimo risco”, comentou.

Com a instalação da Câmara GRC, a Fecomércio reforça seu compromisso com os empresários em buscar a integração da economia, com a proposta de um modelo único de trabalho que defina as questões da liderança de mercado, antecipação e prevenção de riscos e adequação às questões legais e conquista de objetivos de expansão.

image_pdfimage_print