Comerciantes da Hermes Fontes enfrentam dificuldades com obras

As obras da avenida Hermes Fontes estão criando problemas para as empresas situadas em todo o seu entorno, segundo uma comissão de empresários que convidou o presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac, Laércio Oliveira, para conversar sobre as dificuldades enfrentadas com os problemas da obra de urbanização da avenida, que tem impedido a mobilidade de clientes em suas lojas. Os empresários reclamaram que desde o início das obras, no dia 09 de dezembro, seus negócios estão sofrendo uma grande baixa de vendas, com perdas percentuais superiores a 95% das vendas estimadas para o período.

De acordo com o empresário líder da comissão de lojistas, André Luiz Cardoso, os negócios da avenida Hermes Fontes e de ruas adjacentes estão com dificuldades para manterem suas portas abertas. “O melhor período de vendas para nossas lojas é no final do ano e nos meses iniciais do ano seguinte, mas com essa obra os clientes desapareceram e isso tem criado muitos problemas para mantermos os negócios de pé. Estamos sem vender nada no período em que esperávamos ter a maior vendagem do ano”, comentou.

Os empresários explicaram para Laércio Oliveira que não são contrários à realização da obra, porque sabem que é necessária para a melhoria do fluxo de veículos e de clientes nas lojas. Entretanto, o período em que as obras estão acontecendo foi inadequado para os negócios. Empresas do comércio de vestuário, equipamentos para veículos, estética automotiva, material escolar, lojas de departamentos, material escolar, entre outras, sofreram uma fuga de clientes que reduziram seu faturamento de modo complexo para a manutenção dos negócios. As empresas estão com problemas para manter os trabalhadores, devido à ausência de condição de mantê-los em atividade, por não haver vendas. Além de suspenderem a contratação de mão de obra temporária, os lojistas já estão pensando em diminuir o quadro de efetivos.

Laércio Oliveira ouviu as demandas dos empresários e pediu deles sugestões para que sejam apresentadas ao prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, de modo que possam ser compreendidas e colocadas em prática para minimizar o problema da ausência de vendas.

“Ouvir o pedido dos empresários é importante para que encontremos soluções para que a realização da obra não tenha tanto impacto nos negócios. As empresas da Hermes Fontes e região estão com dificuldades e precisam ser atendidas de modo que possam continuar operando sem que provoquem demissões de trabalhadores e que garantam seu faturamento. Vou levar suas sugestões para o prefeito de Aracaju, para que medidas paliativas possam ser tomadas. Ver lojas que dobram seu quadro funcional no período final de ano não contratarem é muito duro para o mercado como um todo. Vou marcar uma reunião com Edvaldo para apresentar as sugestões e encontrar soluções para o problema”, disse Laércio.