Empresários discutem Comércio Exterior com especialistas na Fecomércio

O primeiro Encontro de Internacionalização e Comércio Exterior de Sergipe (Eicomex) foi realizado na manhã de segunda-feira (29), com a participação de mais de 70 empresários sergipanos, que tem o objetivo de estreitar laços comerciais com outros países, principalmente com a China. O evento, que aconteceu no auditório do Sesc Centro, contou com palestras de especialistas em Comércio Exterior e transações de negócios bilaterais internacionais foi realizado pela Federação do Comércio de Sergipe (Fecomércio-SE), teve as palestras dos empresários Daniela França, Marcelo Abrantes e Pedro Teles, que abordaram diversos temas relacionados ao mercado internacional de negócios.

O empresário Marcelo Abrantes, da All Trade Internacional, fez uma explanação sobre a competitividade dos empresários brasileiros no exterior, dando como exemplo as feiras internacionais de Cantão, na China, do Panamá e da República Dominicana, que geram grandes oportunidades de negócios, principalmente para o setor produtivo nacional, que abraça cada vez mais os produtos brasileiros, nos grandes mercados consumidores de todos os continentes.

“O mercado brasileiro tem grandes condições de promover altos volumes de exportação para outros países, os Estados Unidos e a China, além de países em todo o mundo, são muito receptivos aos produtos brasileiros. No momento atual, o mercado de alimentos é o maior potencial a ser explorado pelos empresários. As feiras internacionais têm plena condição de promover grandes negócios para os empresários brasileiros e sergipanos”, destacou Abrantes, lembrando que somente na Feira de Cantão, na China, foram feitas transações de mais de 31 bilhões de dólares, no ano passado.

Para Daniela Sena França, empresária sergipana do ramo de Comércio Exterior, radicada na China há cinco anos, onde mantém as empresas Continental Comex e a SDM, Sergipe tem grande potencial não apenas no ramo de alimentos industrializados, mas também na exportação de serviços, principalmente de Tecnologia da Informação.

“Nossos empresários podem participar de grandes empreitadas com parceiros internacionais. Podemos promover as vendas em grande escala para os produtores locais, principalmente de matéria-prima para as indústrias chinesas, que também podem promover a venda de produtos a preços mais competitivos para os empresários brasileiros. A globalização promove a facilidade de transações comerciais entre os países. O Brasil tem muito potencial turístico, também para investimentos, além do comércio exterior em si. O mercado de carnes, aves e derivados tem crescido bastante na China, uma boa oportunidade de expansão dos negócios brasileiros”, afirmou Daniela Sena.

Os participantes do I Eicomex participaram realizaram perguntas para tiras todas as dúvidas sobre como proceder para realizar negócios bilaterais de comércio exterior com os palestrantes, apresentando seus questionamentos e ouvindo as explicações do que fazer para desenvolver as atividades em suas empresas.

Para o presidente da Fecomércio, Laércio Oliveira, a chance de os empresários sergipanos expandirem seus negócios, encontra um grande aliado no mercado internacional. Segundo o presidente, a realização de parcerias com empresas de desenvolvimento do Comércio Exterior, promovem as estratégias adequadas de ampliação do mercado, prospecção de fornecedores e potenciais clientes para os produtos e serviços de Sergipe para o mundo.

“O momento é de conquistar espaços no mercado internacional. Hora de rompermos barreiras, para buscar mais oportunidades de negócios na economia globalizada, o que significa o avanço do empreendedorismo dos empresários sergipanos e brasileiros. Este é o primeiro encontro de vários que realizaremos, para poder ampliar a capacidade de negócios, gerando oportunidades. As chances de trabalhar negócios, principalmente com a China, o maior mercado consumidor do mundo, são muito boas para nossos empresários”, valorizou Laércio.

O empresário Pedro Teles, falou sobre os processos de simplificação dos negócios e sobre os potenciais econômicos de Sergipe, destacando a produção sucro-alcooleira e de apicultura. Segundo ele, o caminho para os negócios internacionais está aberto e basta ter a orientação adequada para realizar boas transações.

“Com empresas de auxílio ao comércio exterior, o processo de transações comerciais se torna muito simplificado. Temos muito potencial em Sergipe, para exportação pra todos os países que tem mercado consumidor, temos o suporte técnico para os empresários locais e isso garante a conquista dos mercado internacional”, destacou Pedro Teles.

image_pdfimage_print