Eu Valorizo: histórias de sucesso do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac


Publicado em : 03/12/2019 | por Victória Valverde | Agência Comércio | Atualizado em: 03/12/2019


O Sistema Fecomércio/Sesc/Senac atua em diversos municípios do estado de Sergipe. Para os que conhecem o sistema a fundo, sua importância social é facilmente percebida. Entretanto, aqueles que o conhecem apenas superficialmente, não compreendem o impacto que ele tem na vida de tantos sergipanos.

Como uma forma de dar mais visibilidade aos frutos deste trabalho e dar rosto a mudança feita por essas instituições, serão compartilhadas a seguir três histórias de indivíduos que cresceram dentro do sistema.

“O Sesc é um paraíso”

Uma das pessoas mais emblemáticas do Sesc Siqueira é o aposentado Edgar Barros, de 72 anos. Conhecido por todos, seu Edgar é um frequentador voraz da academia do Sesc. Ele chega a colocar “falta”, brincalhão como só ele, nos outros frequentadores da academia.

Com uma disciplina militar, seu Edgar malha todo dia, às 11h, há 4 anos. Por ser morador do bairro, ele vai caminhando até a instituição. Fã declarado, Edgar fala para quem quiser ouvir da qualidade do serviço do Sesc e incentiva todos a conhecerem a instituição.

“A valorização do Sesc começa na minha casa, quando estou descansando, sinto o benefício que o Sesc me proporciona todos os dias”, disse Edgar, que adverte sobre a importância e o impacto do exercício físico na saúde do indivíduo.

Ao ser diagnosticado com câncer de próstata, seu Edgar não se assustou. Por ser ativo na academia do Sesc, sua saúde é invejável e foi elogiada pelos médicos que cuidaram do seu tratamento. Sua recuperação foi rápida, já que o organismo estava forte.

“O pessoal entra com a cabeça encharcada da rotina, mas saem sorrindo do Sesc”, declarou Edgar, que tem costume de sentar-se no banco após o seu exercício para observar o movimento e regar as plantas do local com a água da sua garrafa, que o acompanha durante os exercícios.

Seu Edgar é apenas uma das centenas de pessoas que frequentam o Sesc diariamente e, por meio da instituição, agregam valor nas suas vidas, seja no uso das academias, dos restaurantes, no Grupo Nova Vida (que tem um lindo trabalho com idosos), no atendimento odontológicos dentre outros serviços.

“No Sesc, todos me tratam bem”

 

Muitas vezes, um pequeno gesto cordial muda o dia da gente. Quem chega no Sesc Centro é recepcionado com um sorriso caloroso vindo de Benedito da Cruz, o recepcionista. De simpatia, Bené – como foi carinhosamente apelidado – entende.

Bené, trabalha no Sesc há 23 anos, quase metade da sua vida. Como resultado, ele é um avido conhecedor da instituição. Não sabe onde fica algum lugar? Pode perguntar a Bené que ele tem a resposta. Quer entender mais de algum serviço? Não deixe de consultá-lo.

Ao ser contratado, começou como porteiro. Com um tempo, foi convidado a ocupar um cargo de serviços burocráticos ao ser promovido a assistente técnico. Hoje, está satisfeito na posição de recepcionista, onde interage com todos que entram na instituição.

De acordo com Bené, no Sesc entra gente de todo tipo, idade, classe social e etnia. De advogado à serviços gerais. Todos convivendo no mesmo espaço, em harmonia.

“O clima de trabalho é ótimo, tenho muita amizade com meus colegas, com os conselheiros, diretores, gerentes, com todo mundo. A gente sempre se entende”, declara o recepcionista.

Bené utiliza-se de vários serviços ofertados pelo Sesc, como o restaurante, onde ele almoça quase sempre, e a academia, que ele faz questão de detalhar o quão bem equipada é. Autointitulado “rato de academia”, tem semanas que Bené malha os 5 dias úteis.

Através do cargo de recepcionista, Bené é parte vital do Sesc e do dia a dia de muitos. Já que, parafraseando o poeta Manoel de Barros, a importância de uma coisa há de ser medida pelo encantamento que a coisa produza em nós. Da mesma maneira, o Sesc é parte vital de Bené. Os dois seguem – e tudo indica que seguirão – se amando neste relacionamento de mútua afeição.

“Graças ao Senac, hoje eu tenho orgulho de ser quem sou”

 

Ao se inscrever no curso de garçom na unidade móvel do Senac Sergipe no conjunto bugio, onde morava, a sergipana Rawelle Pilar, de 25 anos, não tinha ideia do quanto sua vida sofreria uma metamorfose. Apesar de, no começo, não se sentir muito motivada, Rawelle logo se apaixonou pelas aulas e se encheu de um vislumbre pelo que o futuro poderia se tornar.

Durante o curso, o seu bom desempenho a fez se destacar e o professor, Bruno Lima, logo a indicou para ser treinada para a Olimpíada do Conhecimento, maior competição de educação profissional e tecnológica das Américas, promovida pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), que reúne estudantes do Senai e do Senac de todo o país. Nesse período, três alunos de Sergipe, incluindo Rawelle, receberam a proposta para irem treinar no Senac de Salvador.

Em todo esse processo de preparação, um dos instrutores que mais lhe marcou foi Antônio Juarez, professor da Sede do Senac Aracaju. Antônio faleceu em 2015, mas o seu legado vive através de Rawelle e de todos os alunos que receberam seus ensinamentos.

Com o auxílio da equipe do Senac de Sergipe e de Salvador, a aluna se preparou e conseguiu ficar em primeiro lugar regional. Com o resultado, em 2014, foi selecionada para a competição em nível nacional, em Belo Horizonte, na qual ela alcançou o sétimo lugar.

Quando voltou para Aracaju, foi recebida com uma surpresa: a proposta de fazer parte da equipe do Restaurante Senac Bistrô Cacique Chá, onde ela trabalha como garçonete há cinco anos.

O futuro? Rawelle está estudando para se tornar instrutora do Senac, além de fazer faculdade de turismo. Uma das coisas que o Senac lhe ensinou foi nunca parar de buscar conhecimento. Esta é a mensagem que ela espera passar para os jovens que passarem pela instituição.

Eu valorizo

Assim como Edgar, Rawelle e Bené, milhares de pessoas são beneficiadas pelo Sistema Fecomércio/Sesc/Senac por todo o país. Com o intuito de valorizar e fortalecer a atuação do sistema em todo o Brasil, foi lançada, no dia 7 de outubro, a campanha nacional “Eu Valorizo”, juntamente com um abaixo assinado.

A campanha segue até o dia 31 de dezembro. Ao apoiá-la, cada brasileiro está contribuindo para garantir a continuidade do trabalho do sistema, que valoriza os trabalhadores do comércio, suas famílias e a sociedade no geral por meio da promoção de ações de educação, alimentação, saúde, cultura, esporte e lazer em todo o território nacional. Se você apoia o Sistema Fecomércio/Sesc/Senac, assine o abaixo assinado aqui.

 

 

 

 

image_pdfimage_print

Autor : Victória Valverde | Agência Comércio
Categorias : Destaques, Notícias