Em defesa dos manguezais

Ação educativa reuniu gerentes, instrutores e alunos da instituição

Revestiu-se de verdadeiro sucesso, a ação educativa “A Defesa dos Manguezais”, promovida pelo Departamento Regional do Senac e Dupla Comunicação. No final da tarde do dia 25 de outubro, o diretor regional do Senac, Paulo do Eirado, gerentes, instrutores e alunos da instituição saíram em caminhada até o Mirante da 13 de Julho, local de realização do evento. Os alunos das turmas do Programa de Aprendizagem da entidade aproveitaram a oportunidade da caminhada, para visualizar a verdadeira situação do rio e do mangue, oportunidade em que observaram a grande quantidade de lixo acumulado naqueles locais.
A abertura do evento, no Mirante, foi totalmente musical, com a participação do artista sergipano, Carlos Moreno. Adolescentes e adultos que passavam pelo local ouviram o cantor saudar a natureza com belas canções de alerta e reflexão, além de músicas que falavam de amor. O caminho da Via Crucis, divido em quatorze estações, trazia os materiais jogados no mangue e o tempo de decomposição de cada resíduo, pôde ser percorrido por todos que estavam no evento.
A Caminhada foi um momento especial de sensibilização e reflexão sobre os diversos objetos jogados no mangue. “O que o Senac pretende/ É chamar sua atenção/ Para a importância do mangue/ E sua preservação/ Para que a humanidade/ Faça a bem da verdade/ Sincera reflexão”. Esses versos são do notável cordelista sergipano, que escreveu o cordel O Senac em Defesa dos Mangues ou Via Crúcis do Mangue, livro distribuído com todos os participantes da caminhada e que teve ainda estes versos: A Via Crúcis do Mangue/ Que a poesia conduz/ Lembrará o sofrimento/ do Mangue em Nosso Jesus/ Vamos nesta caminhada/ Reflita em cada parada…/ A dor do mangue, a cruz.
Durante o evento, empresas que trabalham com reciclagem, visando colaborar com a preservação do meio ambiente, divulgaram seus serviços. A representante da Recigraxe, Rejane Lemos, informou sobre o recolhimento de óleo em condomínios e restaurantes da cidade: “Estamos ajudando pessoas e preservando o meio ambiente com essa ação tão simples de separar o óleo e reciclarmos”. Já a representante da CARE, Amanda Bispo, falou sobre as atividades desenvolvidas pela cooperativa, que recicla diversos materiais inseridos nas categorias: plástico, vidro, metal e papel.
Para animar o final de tarde, os repentistas Damião e Leonardo, tocaram e cantaram, saudando a natureza, utilizando o dom artístico para sensibilizar o público. No início da noite, Gilmar Ferreira voltou com a declamação de seu Cordel, e encantou o público, que com muito carinho completava suas rimas. Os cordelistas Antônio de Boquim e Salete declamaram com muito brilho, a literatura de cordel.
O evento chegou ao final, com uma apresentação do grupo de dança, “Um Quê de Negritude”, integrado por alunos do Colégio Atheneu. As belíssimas coreografias Iabás e Oxóssi, apresentadas, emocionaram o público.

image_pdfimage_print